Desafio Máscara Para Todos convida público a fazer as próprias máscaras

Inspirado no movimento global #Masks4All, que incentiva a produção de máscaras caseiras na luta contra o avanço do coronavírus, o Desafio Máscara Para Todos tem o objetivo de conscientizar sobre o uso desse equipamento de proteção individual, além de unir pessoas e empresas interessadas na produção e doação do item. 

Criado pela designer e consultora estratégica na área da moda Maíra Becke e pela designer e empresária Tati Kindermann, de Florianópolis, o movimento repassa informações ao público sobre como criar máscaras para uso pessoal, a partir de modelos criados por designers e modelistas. Também reúne voluntários interessados em confeccionar unidades para doação e faz parcerias com instituições sem fins lucrativos para distribuição de máscaras para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Designers e artesãos estão convidados a participar do projeto. 

“Queremos que Florianópolis seja um exemplo. É um trabalho de formiguinha. Incentivamos cada um a fazer sua parte e estamos produzindo tutoriais para quem quiser criar sua própria máscara. É mais uma barreira no controle de disseminação do vírus, junto do distanciamento social e do hábito de lavar as mãos”, explica Maíra. 

O público também foi desafiado a trocar a foto de perfil por uma foto usando a máscara. Quem quiser saber mais sobre o projeto pode acessar o perfil no Instagram @desafiomascaraparatodos

Máscaras caseiras já são recomendadas pelo Ministério da Saúde 

Desde o início da pandemia, houve uma grande busca por máscaras de proteção e o equipamento está escasso, até mesmo para quem trabalha na área da saúde. Inicialmente, o uso de máscaras era recomendado apenas para quem tinha sintomas da Covid-19, e o uso de máscaras de pano não era indicado por órgãos oficiais. Porém, na última semana, o Ministério da Saúde anunciou que lançará uma campanha digital pela mobilização da população para fabricar as próprias máscaras de pano e lançou um manual com recomendações

Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações, como ter pelo menos duas camadas de pano e ser de uso individual. Elas podem ser feitas em tecido de algodão, tricoline, TNT ou outros tecidos, desde que desenhadas e higienizadas corretamente. Também deve ser feita nas medidas corretas, cobrindo totalmente a boca e nariz sem deixar espaços nas laterais. 

Por aqui, a Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Saúde, também passou a recomendar o uso de máscaras caseiras para pessoas sem sintomas de coronavírus como medida de prevenção da doença. Elas devem ser utilizadas em situações onde é preciso sair do isolamento social, como para compra de medicamentos ou uma ida ao supermercado. 

“Ficamos muito felizes por terem agido tão rápido. Começamos o projeto há poucos dias e até então a posição oficial do Ministério da Saúde era contrária ao uso de máscaras caseiras. Estamos lidando com um caso em que todo cuidado é pouco. Não é por estarmos de máscara que estamos imunes. É apenas mais uma etapa da prevenção. A máscara protege o outro. Eu te protejo e você me protege”, defende Maíra. 

Nesta semana, a Audaces doou 4000 máscaras e também macacões, que serão doados para profissionais que estão na linha de frente. Foi aberta uma vakinha para quem quiser ajudar, e toda a verba arrecadada será destinada para a produção de máscaras para a população em situação de vulnerabilidade social – https://www.vakinha.com.br/vaquinha/desafio-mascara-para-todos

O Projeto Cidades Invisíveis, parceiro do Desafio, recebeu a primeira leva de doações. Foram distribuídas máscaras para asilos, para o Cepom e em breve para a Comcap.

Empresas parceiras do Desafio Máscara Para Todos

High Brands

Projeto Cidades Invisíveis

Camila Fraga

Gal Floripa

Brandee

Soy Maria

Pera Store

Amedei

Lolu Brand

Mari Pelegrini

Melt Swim

Fouta Heritage

Audaces

All Press Comunicação 

Verte Conteúdo

Gráfica Natal

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui