Atores globais autografam livro “América do Sul Sobre Rodas”

Amanda e Max a bordo do motorhome, em que percorreram seis países da América do Sul. Crédito: Editora Novo Conceito

A atriz catarinense Amanda Richter e o seu marido, o também ator Max Fercondini, estiveram ontem na Livrarias Catarinenses, do Continente Park Shopping, em São José, para o lançamento do livro América do Sul sobre Rodas.

Em 2016, Amanda e Max embarcaram em um motorhome para uma aventura de mais de 180 dias que percorreu seis países da América do Sul, incluindo Uruguai, Argentina, Chile, Peru, Equador e Colômbia. No total, eles viajaram mais de 21 mil quilômetros desbravando novos lugares e a cultura, a gastronomia e a arte de cada povo.

Capa do livro

As curiosidades e experiências da viagem estão reunidas no livro América do Sul sobre Rodas, lançado pela editora Conceito, e que se diferencia pela intensa interatividade com o leitor.

Abaixo segue a entrevista que fiz com a dupla por e-mail. Confere as respostas. 

MH: Muita gente que tira um ano sabático para curtir uma aventura. Esse foi o caso de vocês?
Amanda e Max:  Não, nós saímos com o intuito de gravar 10 programas para a TVGlobo, então esses seis meses de viagem na verdade foram de bastante trabalho para nós. Mas mesmo com uma demanda grande de trabalho, nós conseguimos aproveitar muito a viagem e conhecer lugares incríveis na América do Sul. Foram 21 mil quilômetros, 180 dias e seis países, tudo a bordo de um motorhome.

MH: Quanto tempo antes foi necessária para preparação logística e financeira e como foi feita?
Amanda e Max: Nós tivemos apenas três meses de pré-produção. Foi um período curto para a grande viagem que fizemos, mas queríamos pegar o verão do hemisfério sul, principalmente por conta da Patagônia Argentina e tivemos que produzir em um curto espaço de tempo, todo o percurso.

Amanda e Max em frente ao motorhome. Crédito: Editora Novo Conceito

MH: Quais as melhores e as piores surpresas da viagem?
Amanda e Max: Descobrimos que temos lugares aqui na América do Sul maravilhosos, que muitas vezes são deixados de lado ou não são tão valorizados por nós brasileiros. A riqueza natural e cultural dos nossos países hermanos é incrível. Ficamos surpresos com a boa recepção que tivemos em todos os países. Os pequenos perrengues são as surpresas desagradáveis que acontecem no caminho, como a pastilha de freio que ficou no ferro, ou mesmo o problema na fronteira do Equador que nos fez dormir quatro noites no complexo fronteiriço. Contamos os detalhes da aventura no livro, juntando dicas e informações bem úteis para os viajantes.

MH: Para quem está pensando em uma trip dessas, quais conselhos vocês dão?
Amanda e Max: Estipule uma data de saída. Não deixe pessoas que não acreditam no seu sonho te desanimar, se planeje e organize sua viagem. E aproveite muito, pois a experiência que você adquire viajando é conhecimento que ninguém te tira e não te ensinam em nenhum lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Faça seu comentário!
Por favor informe seu nome aqui